Estreia com vitória

Ontem foi um dia angustiante para nós gremistas, a final, era a estreia do Tricolor na Libertadores da América, a Copa que desperta sensações das mais adversas em nossos corações. Andando pelas ruas, muitos gremistas vestindo o manto sagrado desfilavam seu orgulho e aguardavam com ansiedade o horário da partida de boas-vindas do Grêmio contra o Zamora. E valeu a pena esperar por essa estreia vitoriosa!

Enfrentando trinta e três graus de temperatura o time fez um primeiro tempo discreto e nervoso, contra um adversário que, apesar de frágil, demonstrou que sabe colocar a bola no chão e propor boas jogadas de ataque, com as quais, acabou chegando com possibilidade clara de gol em duas oportunidades, quando a partida ainda estava empatada. Aliás, cabe aqui mencionar a conduta disciplinar dos jogadores do Zamora. Respeitaram os jogadores gremistas e atuaram de forma limpa, demonstrando que o futebol pode ser jogado sem cotovelos erguidos, entradas bruscas e desleais que quase sempre geram prejuízos financeiros e humanos.

O primeiro gol do Grêmio, no final do primeiro tempo, nasceu de uma boa troca de passes entre Luan e Pedro Rocha, na intermediária do Zamora, até que Pedro Rocha deu passe preciso dentro da área para Léo Moura que girou o corpo e bateu no canto do goleiro. Um belo gol! Mais do que merecido, a final, Léo Moura vinha tendo uma ótima atuação que se repetiu no segundo tempo. Ele foi sólido na defesa, fez desarmes, demonstrou boa saída para o ataque e com boa movimentação se apresentou sempre como opção de passe. Pedro Rocha, além da assistência, fez uma excelente partida e puxou o contra-ataque que resultou no pênalti sobre Ramiro, convertido por Luan. Aliás, Luan esteve bem marcado e em alguns momentos, quando estava com a bola próximo da área, chegou a ter três marcadores em sua volta. Mas Luan não precisa necessariamente ter a bola nos pés para desestabilizar a defesa adversária, pois com boa movimentação, em alguns momentos, atraiu a marcação para si, gerando espaços que resultaram em boas chances de gol, uma delas com Bolaños e outra com o volante Michel.

Dois a zero, liderança do grupo e um bom começo! Porém, após a partida contra o Zamora, o questionamento que fica é o seguinte: Será que Léo Moura não deveria ser testado como volante ao lado de Maicon no meio campo do time assim que Edílson retomar a titularidade? Até porque mexer na função desempenhada por Ramiro é um risco desnecessário ao esquema tático. De qualquer forma, a partida contra o Zamora serviu, sobretudo, para que não restassem dúvidas que para a próxima fase da competição, qualificar os volantes deve ser uma das prioridades da direção gremista, caso contrário…

Imagem: Lucas Uebel

Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Comente aí!

comentário